Dia D - O príncipio do fim

Como o desembarque na Normandia selou o destino da Alemanha nazista.


A invasão da França pelos Aliados, no dia 6 de junho de 1944, assinalava o clímax estratégico e emocional da Segunda Guerra Mundial. Para a Grã-Bretanha e os Estados Unidos a invasão, codinome "Operação Overlord", era o fim de quase cinco anos de derrotas, luta, sofrimento e algumas vitórias conquistadas a duras penas. Para os alemães era vencer ou morrer, repelir o inimigo na França ou a catástrofe inevitável. Os invasores cruzariam o Canal da Mancha em 5.300 navios e embarcações, a maior esquadra de todos os tempos. Cerca de 12.000 aviões dariam o apoio aéreo, bombardeando as defesas nazistas, lançando paraquedistas, destruindo pontes e ferrovias. Nas primeiras 48 horas, seriam desembarcados 107.000 homens, 14.000 viaturas e 15.000 toneladas de suprimento ao longo de 100 km de praias entre Caen e Cherburgo. Os alemães sabiam que o ataque era iminente, pois seu serviço secreto havia conseguido penetrar na rede subterrânea franco-aliada e trataram de reforçar suas defesas.

Soldados americanos desembarcam na Normandia, em 6 de junho de 1944, o Dia D.O General Erwin Rommel coordenava os trabalhos, reforçando a "Muralha do Atlântico" com canhões navais instalados em casamatas de concreto, minando as praias, colocando obstáculos submarinos (minas Teller e estacas), concretando e cercando as encostas com arame farpado, e semeando ao longo da costa centenas de pequenos canhões. Mas os Aliados tomaram precauções para iludir os espiões inimigos: caminhões e tanques de madeira foram agrupados em um ponto da costa inglesa para induzir os alemães a acreditarem que o ataque seria em Calais, mais ao norte; simulacros de embarcações congestionavam o Tâmisa; e uma falsa movimentação de tropas e veículos também foi encenada.

Na madrugada do dia 6 de junho, a esquadra navegava pelo mar encapelado do Canal com todas as luzes apagadas, enquanto milhares de paraquedistas com suas faces pintadas de negro subiam nos aviões de transporte, minisubmarinos emergiram conforme o combinado marcando com luzes de baixa intensidade os pontos de desembarque e os precursores eram lançados para marcar as zonas de salto da tropa principal. No dia anterior, o comandante naval alemão achava que a maré e as condições meteorológicas eram desfavoráveis à invasão e a inteligência ignorara mensagens interceptadas, como a transmissão pela BBC de uma mensagem em código para o início do ataque: "A flecha fura o aço".

O desembarque ocorre em cinco pontos da costa francesa, cujas praias foram denominadas Gold, Sword, Utah, Omaha e Juno, pegando a maior parte das tropas alemães de surpresa, cujo corpo principal estava mais ao norte, prevendo que a invasão seria no estreito de Calais, menor distância entre os dois países. Mas, apesar disso, nada foi fácil. Em todos os setores houve forte resistência, as lanchas eram recebidas com fogo pesado antes mesmo de abrirem suas rampas para os homens descerem e quando estes conseguiam fazê-lo estavam com água pela cintura, quando não se chocavam com minas submarinas. Os carros de combate tinham dificuldade de chegar à praia, devido ao mar revolto. Os destroços espalhados por toda parte dificultavam ainda mais a travessia. Mesmo os paraquedistas, à retaguarda da "Muralha", foram lançados de forma muito dispersa, demorando ou nem conseguindo reagrupar-se para coordenar uma ofensiva. Em Omaha a situação foi desesperadora, pois havia uma pequena faixa de areia e seixos, com as saídas para o terreno elevado minadas e fortemente defendidas, contornada por penhascos de onde metralhadoras alemães dizimavam todos que ousassem levantar a cabeça do chão.

Passados estes primeiros momentos de terror, entra em cena a bravura e o heroísmo de muitos, que sobrepujaram todas as adversidades, avançando sobre o inimigo com destemor, salvando a vida de seus companheiros e liderando-os encosta acima. Ao final do "Dia D", o mais longo dos dias, as perdas Aliadas foram estimadas em 10.600, entre mortos e feridos, e os alemães perderam cerca de 9.000 homens. No mês seguinte ao desembarque estarão em solo francês mais de 900.000 soldados americanos e ingleses, 177.000 veículos e 600.000 toneladas de suprimentos, para iniciar uma ofensiva para libertar a França e expulsar as tropas nazistas em direção a Berlim, enquanto os soviéticos as pressionavam pelo leste, fazendo o Terceiro Reich, que deveria durar mil anos, ruir.




                                 www.militarypower.com.br                                   eXTReMe Tracker
                       A sua revista de assuntos militares na internet