AH-1 Cobra - Estados Unidos


No início de 1962, um comitê do Exército americano (US Army) elaborou um relatório que constituiu a primeira aprovação ao uso de helicópteros armados de escolta no âmbito da guerra aérea moderna. Em 1965, a necessidade urgente de um helicóptero de ataque para ser usado na Guerra do Vietnã, fez com que o US Army anunciasse as especificações para o seu Advanced Aerial Fire Support System (AAFSS, sistema aéreo avançado de apoio de fogo). Como aeronave provisória foi escolhido o modelo 209, da Bell Textron, com uma fuselagem estreita e esguia, com uma tripulação de dois homens. Este possuía apenas uma turbina T-53-L-11 de 1.115 hp e utilizava muitos componentes do robusto UH-1 Iroquois, sendo designado AH-1G Cobra, dos quais 1.200 unidades foram fabricadas. Pós-Vietnã surgiu a versão AH-1Q, utilizando mísseis anti-tanques TOW, para enfrentar a ameaça blindada soviética na Europa. O US Marine Corps logo se interessou pelo Cobra, mas optou pela versão bimotor, o AH-1J. A versão atual AH-1W Super Cobra deve as suas origens a uma proposta de estudo para a Aviação iraniana de um aparelho atualizado chamado AH-1T, no qual as turbinas T53 foram substituídos pelas turbinas T-700-GE-401 de 1.660 hp. Graças a estes motores mais potentes, o Super Cobra goza de melhor relação empuxo/peso do que qualquer helicóptero de sua categoria. O rotor principal com duas pás de 14,6 m, com o uso de materiais compostos em sua confecção, proporciona grande sustentação ao AH-1W. Os dois membros da tripulação, o piloto no assento traseiro e o artilheiro à frente, ocupam um cockpit confortável, em tandem, com HUD e aviônicos de alta tecnologia compatíveis com óculos de visão noturna, numa cabine totalmente blindada.



Para visualizar desenho do AH-1 Cobra em 3 vistas, clique aqui.


O armamento padrão do Super Cobra é constituído por um canhão de 20 mm M-197, com 750 projéteis, instalado numa torre debaixo da proa. O AH-1W pode transportar 998 kg de armas, incluíndo mísseis anti-tanques BGM-71 TOW ou AGM-114 Hellfire, Minigun XM-18, pods para 19 foguetes Hydra de 70 mm, em quatro suportes subalares, mísseis ar-ar AIM-9L Sidewinder e anti-radar AGM-122A Sidearm. O sistema de armas, otimizado para combate noturno, permite que o canhão e os mísseis sejam ligados aos visores montados nos capacetes dos tripulantes ou apontados por meio dos visores de imagem térmica NSTF-65. O sistema de navegação é o Teledyne AN/APN-217 Doppler. As contramedidas estão a cargo do receptor de alerta radar (RWR) modelo AN/APR-44, dos liberadores de chaff/flare AN/ALE-39 e um jameador AN/ALQ-144 IR. Testado pela primeira vez em combate, durante a operação Tempestade do Deserto, na Guerra do Golfo de 1991, para onde foram enviados os esquadrões HMLA-169 "Vipers", HMLA-269 "Gunrunners", HMLA-367 "Scarfaces" e HMLA-369 "Gunfighters", os AH-1W Super Cobra provaram que os Marines e a indústria Bell tinham concebido, projetado, construído e posto em ação um vencedor. Estes helicópteros se destacaram nos duros combates pela cidade de Khafji e no apoio à vanguarda dos Marines na ofensiva pela retomada do aeroporto de Al Jaber, onde destruíram 60 blindados iraquianos. Em 1992 os AH-1W também deram apoio às tropas americanas e às forças da ONU durante a intervenção na Somália e em 1995 atuaram na Bósnia em apoio às operações C-SAR. O AH-1 Cobra foi exportado para o Japão, Coréia do Sul, Israel, Jordânia, Paquistão, Irã, Tailândia e Turquia, sendo que estes dois últimos adquiriram também algumas unidades da versão AH-1W. Primeiro helicóptero de ataque do mundo, o versátil AH-1 Cobra tem atuado de forma contínua durante mais de trinta anos, com tal eficiência que qualquer adversário que decida enfrentá-lo deve pensar duas vezes antes de fazê-lo.

Usuários: Estados Unidos, Israel, Turquia, Coréia do Sul, Jordânia, Taiwan, Paquistão, Japão e Tailândia.



Origem
Estados Unidos
Velocidade
314 km/h (máxima)
Dimensões
comprimento: 17,6 m / altura: 4,3 m
Peso máximo
6.690 kg
Raio de ação
635 km
Motores
2 turbinas GE T-700-401, com potência de 1.660 hp
Armamento
Canhão M-197 de 20 mm, mísseis TOW ou Hellfire e foguetes Hydra de 70 mm.



                                 www.militarypower.com.br                                   eXTReMe Tracker
                       A sua revista de assuntos militares na internet